Escleroterapia com espuma

Como funciona a escleroterapia com espuma?



A escleroterapia com espuma tem o mesmo princípio da escleroterapia líquida. No entanto, a substância utilizada consiste numa “espuma” formada pela combinação de uma substância líquida com o ar ambiente. Por ser mais espessa, a espuma desloca o sangue dentro do vaso sem diluir, favorecendo maior contato da espuma com a superfície interna da parede da veia, o que aumenta a potência da substância em 2 a 4 vezes.

Qual a indicação da escleroterapia com espuma?

Por ser mais potente, a espuma é indicada no tratamento de veias de maior calibre, inclusive a veia safena. Substituindo em alguns casos a necessidade de tratamento cirúrgico e contribuindo para o fechamento de úlceras de estase de longa data.

A escleroterapia com espuma apresenta desvantagens?

Uma desvantagem, porém, é o maior risco de hiperpigmentação da pele com esse método devido a formação de pequenos trombos na veia tratada.

 

Uma maneira de minimizar esse risco é realizar sessões de drenagem da veia submetida a escleroterapia com espuma, além do uso da meia de compressão logo após o procedimento.